17.5.18

LLANSOL NAS NUVENS

Em 1991, ao agradecer o Prémio da Crítica para Um Beijo Dado Mais Tarde, Maria Gabriela Llansol falou das nuvens, e do que em português significa estar nas nuvens («na nuvem primordial, quando o inomeável suspira por ser reconhecido pelo nomeado») e também cair das nuvens («mesmo no meio do texto. No real onde ele é mais nó. Mais denso»). 
Também nós, dez anos depois da sua partida, nos sentimos nas nuvens, caídos das nuvens, com o acolhimento, pode dizer-se universal, que o seu texto vai tendo. A poucas semanas da saída da primeira trilogia, «Geografia de Rebeldes», em edição americana da Deep Vellum (Dallas), chega o número de 8 de Maio dessa «nuvem primordial» da cultura literária, The Times Literary Supplement, com a crítica dessa edição, colocando Llansol entre «os mais fascinantes escritores portugueses do século XX» e referindo a sua primeira trilogia como «espantosa, de outro mundo e altamente original». Reproduzimos o início e o fim da crítica de Anne Dermott a esta edição.